Descubra em passeio com fotos vestígios do Palácio das Tulherias

Descobrir o passado de Paris num passeio a pé pelo seu presente, olhando tudo ao vivo e em cores e imaginando como era.

Você sabia que em frente ao Louvre, onde atualmente se vê a Grande Pirâmide, existia uma outra construção, um pouco menor, mas tão suntuosa quanto o atual museu? Nesse vão, agora com verde, que você está vendo na primeira foto deste post?

IMG_3319

O Palácio das Tulherias, que ali existia, começou a ser erguido em 1564 sob o reinado de Catarina de Médici, viúva do rei Henrique II, numa área reservada a uma antiga fábrica de telhas, razão para o nome tuileries. Ao longo dos séculos, Tulherias e Louvre foram interligados, até seu incêndio pela Comuna de Paris em 1871.

No Palácio das Tulherias, moraram os reis Henrique IV, Luís XIV, Luís XV, Luís XVI, Luís XVIII, Carlos X, Luís Filipe e os imperadores Napoleão Bonaparte e Napoleão III.

Com a demolição do Tulherias em 1882, o Louvre se abriu para uma grande perspectiva ao oeste parisiense, tendo o Jardim das Tulherias como primeiro plano num alinhamento que engloba o eixo histórico de Paris formado por grandes monumentos, como a Praça da Concórdia, a Champs-Élysées, o Arco do Triunfo e La Défense.

Do antigo Palácio das Tulherias, cuja fachada media 328 metros, restaram no local dois pavilhões; um pedaço de sua fachada com colunas esculpidas, instalado numa das laterais do jardim; e o Arco do Triunfo do Carrossel, que, apesar de mais contemporâneo, inaugurado por Napoleão em 1809, servia de porta de entrada para o Palácio das Tulherias.

Outros vestígios subsistem, como um frontão do pavilhão central do antigo palácio e seu relógio, expostos numa pequena praça colada ao Museu Carnavalet, no bairro Le Marais.