Por que A Dama e o Unicórnio (ainda) despertam mistério?

O óleo sobre tela A Monalisa está para o Museu do Louvre assim como o conjunto de tapeçarias A Dama e o Unicórnio está para o Museu Cluny, um dos mais representativos museus especializados em arte medieval da Europa, localizado em Paris.

As tapeçarias de mais de três metros de altura por três metros de largura mostram, em seis cenas, uma nobre acompanhada de um unicórnio, animal mitológico que tem a forma de um cavalo, geralmente branco, com um único chifre em espiral.

Estima-se que as tapeçarias tenham sido tecidas por volta de 1500, na transição entre a Idade Média e a Renascença, a pedido da influente família Le Viste, cujo brasão estaria representado. Os modelos teriam sido fornecidos por um artista parisiense.

O conjunto de tapeçarias, que passou de geração à geração, foi adquirido pelo Museu Cluny em 1882. Da França, saiu apenas duas vezes, como um empréstimo para uma exposição em Nova York, nos anos 1970, e para outra, no Japão, nos anos 2010.

O caráter enigmático, atribuído às tapeçarias, se deve às inúmeras interpretações dessa obra de arte, harmônica, de cores vibrantes, feita em lã e seda, e repleta de simbologia.

A teoria mais aceita defende que o conjunto representa os cinco sentidos – tato, olfato, paladar, audição e visão. Como são seis tapeçarias, resta um mistério, até hoje em debate. Qual o sexto sentido sugerido? A única pista deixada é a frase À mon seul désir, ao meu único desejo em português.

Para alguns especialistas, o sexto sentido seria o amor. Para outros, o entendimento, a compreensão. Há ainda os que defendem ser o livre arbítrio: a mulher nobre renunciando aos prazeres temporais.

Os detalhes, onde estão ambientados a dama e o unicórnio, são impressionantes. Macacos, leões, coelhos, cabras, pássaros, vegetação e flores, muitas flores. Na restauração realizada em 2012, experts valeram-se de corantes naturais e técnicas medievais para recuperar algumas áreas desgastadas com o tempo.

O conjunto de tapeçarias A Dama e o Unicórnio é de fato uma obra de arte acima da média. Vale conferir quando estiver em Paris. Ainda mais agora, que estão instaladas em uma nova ala de exposição adaptada à sua melhor conservação.